Banner do Blog

Panelas: como escolher e do que você precisa

Imagem do post

Aqui no #EstudioPanelinha é uma loucura: tem panela de tudo o que é material e tamanho. E cor. E acabamento. E as de estimação, né? Aquelas que a gente dá um jeito de usar, que a gente procura a receita que sirva para a panela, não o contrário. Mas, na cozinha da vida real, você não precisa de mais do que três itens para começar – e se virar por algum tempo. Com uma frigideira, uma panela (de cabo) e uma assadeira, dá para fazer uma porção de receitas. Ou seja, dá para fritar, cozinhar e assar.

Só isso? Só. Para começar, lembra? Com o tempo, você vai completando o enxoval básico com o que melhor se encaixa na sua rotina, no seu gosto, nas suas habilidades. Por exemplo: se mora sozinho e cozinha para um, você provavelmente não precisa de panelas muito grandes. Outro exemplo: se não gosta de pudim (o que lamentamos profundamente), nem de bolo (ai, ai, ai), não vai precisar de uma fôrma com furo.

Como escolher a panela?
Vamos começar pelo material: considere investir no inox. Investir? Não era só para escolher uma panela e comprar? Ainda é. Mas sabemos que as panelas de inox são mais caras e exigem um pouco mais de habilidade de quem cozinha. Só que as qualidades superam – e muito – esses obstáculos iniciais. O inox é um material resistente, que não interfere no sabor da comida, nem libera partículas metálicas (caso do alumínio). Mas, atenção, panelas de inox têm que ter fundo triplo: ele distribui e mantém o calor por mais tempo. Isso acelera o tempo de cozimento e, para os cozinheiros de primeira viagem, as chances de queimar a comida são grandes. Truque? Use fogo baixo. A vantagem é que, assim que você pegar o jeito, a comida chega à mesa mais rápido (e consumindo menos gás). Mais uma vantagem: como duram essas panelas! Veja a série ‘Em Uma Panela Só’ no canal do Panelinha no YouTube, com receitas rápidas e orientações para o uso das panelas de inox. O primeiro vídeo é este aqui, de talharim à carbonara.



Na hora de comprar, dê preferência também por panelas com cabo tubular. É um cabo de inox oco por dentro, que aquece menos (e não queima a mão). Os cabos revestidos são ótimos também, mas não podem ir ao forno. Se espaço é uma questão, talvez você prefira uma caçarola, que é a panela com duas alças. Ela ocupa menos espaço, mas não é tão jeitosa na hora de cozinhar: ou você queima a mão ou o pano de prato na hora de segurar uma alça para a panela não sambar com o vaivém da colher de pau.

E o tamanho? Essa da foto é uma mini, só para ilustrar o post. Mas o que você precisa, se for comprar apenas uma, é de uma média, de cerca de 20 cm. Ela é multiuso: faz arroz, feijão, cozinha batata, macarrão, sopas e ensopados.

Nós íamos deixar a limpeza para depois das receitas. Mas achamos melhor antecipar. Para limpar a panela de inox, prefira uma esponja macia e deixe longe a palha de aço. O queimadinho não saiu, saponáceo cremoso nela!



A frigideira antiaderente
Há muitas, mas muitas opções no mercado. Desde as mais simples, de alumínio, sem fundo triplo, até as de aço inox com revestimento cerâmico (essa da foto). A boa notícia é que, em termos de saúde, por ter o revestimento antiaderente, a frigideira pode ser de alumínio. A má notícia é que elas não duram muito. E pior: para cozinhar, as mais pesadinhas, na mão e no bolso, são as boas. Oh, céus!

Vamos à explicação. Imagine um bife dourado por fora, rosado por dentro, suculento. Para ele ficar assim, o fundo da frigideira teve que permanecer bem quente do início ao fim do preparo. E isso só é possível quando o fundo é triplo. Na frigideira simples, o bife frio, geralmente recém-saído da geladeira, resfria o fundo, que não consegue selar a carne. Com isso, o bife solta os próprios líquidos e cozinha no vapor. Resultado? Uma carne dura, no melhor estilo sola de sapato.

Diferente da panela de inox, frigideira antiaderente não dura para sempre. A conta que você precisa fazer é a seguinte: as mais em acessíveis duram menos e têm limites culinários; as mais caras duram mais e são mais versáteis. Olha a batata quente aí, gente!

O post foi longo, e poderíamos continuar por mais horas e horas falando sobre panelas e frigideiras. Já das assadeiras, vamos direto ao ponto: compre de alumínio com revestimento antiaderente. Foi simples, não?

Foto: Editora Panelinha / por Ricardo Toscani