Banner do Blog

Top 10: utensílios

Imagem do post

Qual panela comprar? E a faca? Tábua? Ou ainda, quais são os utensílios indispensáveis na cozinha? No meu livro ‘Panelinha, receitas que funcionam’, tem uma lista completa. No livro ‘Cozinha Prática’, os utensílios ganharam até índice próprio: da panela de pressão à pinça, tem explicação sobre como usar tudo! E não é à toa que esse assunto ganhe tanta atenção: uma cozinha bem equipada faz a maior diferença. Mas não basta apenas decretar quais são os itens. Você precisa entender quais características deve procurar em cada um deles para então escolher um produto de acordo com o seu orçamento. Porque minha amiga, meu amigo: o que não falta no mercado é opção.

O #CozinhaPraticaVerao2016 tem um episódio dedicado aos utensílios. Leia mais sobre o programa.

Fiz uma lista reta e direta que é a resposta a todos os leitores que têm essas mesmas dúvidas. No top 10 a seguir, os cinco primeiros são indispensáveis e os outro cinco são o que a gente pode chamar de desejáveis: até dá para viver sem, mas ah, com eles a vida fica infinitamente mais fácil!

Faca de chef

Sem faca a gente não chega nem na esquina da bancada da cozinha! Se tiver que fazer apenas um investimento, procure a faca de chef, que tem tamanho versátil, e procure as que têm lâmina de aço inox forjada (verifique se a lâmina atravessa inteiramente o cabo). As de cerâmica? Quebram, assim como as que não são forjadas (elas têm só uma parte da lâmina colada no cabo). Ah, sim, o material do cabo fica por sua conta; vale policarbonato, madeira, você escolhe.

Panela
As mais comuns são as de alumínio, porém não são as mais indicadas, já que liberam partículas de metal durante a preparação. As de ferro esmaltadas, lindas de morrer, são superpesadas; melhor deixar para o fim de semana. No dia a dia, o ideal é investir nas de aço inox com cabo tubular, que não esquenta. Elas distribuem melhor e mantêm o calor por mais tempo: fogo baixo até pegar o jeito e não queimar a comida! Uma frigideira com fundo triplo e revestimento antiaderente é essencial.

Tábua (ou prancha) de corte
As de bambu, grandes, são as melhores e mais confortáveis para trabalhar. Melhor garantir uma para doces e outra para salgados (porque fruta com gosto de cebola é dureza…). Isso também vale para as de madeira, que são menos indicadas, porém ainda valem. Elas ficam ainda mais lindas quando velhas, já notou? Nesse ponto, melhor transformar a tábua em objeto de decoração da cozinha... As de vidro acabam com o fio da faca e a de policarbonato, vamos combinar, fica feia muito rápido.

Colheres de pau e espátulas
De novo, o bambu: é o material mais indicado para esse utensílio absolutamente indispensável. As de cabo bem longo impedem que a gente se queime com alimentos que espirram. As espátulas de silicone são ótimas para doces – e para raspar o fundo da panela de brigadeiro! Ainda não é hora de condenar as de madeira, mas o melhor é lavar e secar depois de cada uso, assim elas ficam mais bem higienizadas – não abro mão da minha de madeira, bem côncava, ideal para preparar ensopados.

Medidores-padrão
Peneira de inox, tigelas e assadeiras não podem faltar na cozinha, é verdade. Mas não posso deixar de citar os medidores-padrão como indispensáveis. Com eles, os ingredientes de uma receita são medidos corretamente, e isso garante que a proporção da mistura esteja correta. Não é pouca coisa! Aqui no Panelinha, as receitas são testadas com medidores-padrão. A saber: 1 xícara comporta 240 ml – e a partir dela são feitas as frações: ½, ¼, etc. A colher (sopa) comporta 15 ml e a colher (chá), 5 ml.

Batedor de arame
Agora vem a turma dos utensílios nos quais você deveria considerar investir, como o famoso fouet. Com ele, bater os ovos da omelete, ou as claras em neve, e mesmo desempelotar o creme bechamel fica infinitamente mais fácil. Quanto mais fios, mais ele consegue injetar ar na mistura.

Ralador de limão
Sou daquelas que saem colocando raspas de limão em tudo: no bolo, no merengue, no peixe e até na farofa! O segredo das raspas de cítricos é não pegar a parte branca da casca, que amarga a receita inteira. Os raladores pequenos são específicos para fazer raspas – e dão uma baita ajuda nessa tarefa. O que parece uma lima (a ferramenta!) é um dos mais eficientes.

Pilão
Alho e sal no pilão + tahine = molho de salada nota mil. Manjericão e castanhas no pilão = pesto rústico de doer de bom. Farofinha de castanhas trituradas no pilão. Temperos moídos no pilão. Mixer e processador são incríveis, mas pilão é o máximo! O de aço inox é o melhor, pois não pega o sabor dos alimentos.

Descascador de legumes
Faca descasca legume? Descasca. Mas o descascador de legumes é muito mais eficiente e tem vantagens: com eles dá pra tirar lascas de parmesão para a massa do dia, ou de chocolate, para decorar o bolo. Além disso, só com o descascador dá pra fazer fatias finíssimas de legumes como a abobrinha (vira salada saborosa!).

Espátula de padeiro
Sim, eu confesso: esse utensílio que você me vê usando há anos para recolher da tábua os ingredientes picados é próprio para panificação e é chamado de raspador (use esta palavra-chave para buscar na internet). Desde que inventei de usar a espátula assim, a vida na cozinha ficou bem mais prática – não à toa, “onde encontro aquela espátula...” é a pergunta mais frequente nas redes sociais do Panelinha. Não chega a ser indispensável, mas ajuda muito. Dá uma vontade de ter, não dá? Entendo completamente...