Banner do Blog

Seu dia mais saudável: uma refeição por vez (comece pelo café da manhã)

Imagem do post

O que você faria para ter uma alimentação mais saudável hoje, agora? Sim, dá para começar a comer melhor já na próxima vez em que você se sentar à mesa, seja para o café da manhã, se você acabou de acordar; seja para o lanche da tarde, se está no fim do dia. Nesta semana, a gente vai mostrar como fazer isso refeição por refeição. Vamos começar pela primeira do dia?

Durante a semana, na correria do dia a dia, a ideia é facilitar a vida. Então, ok, não é o caso de acordar cedo para bater um bolinho. Por outro lado – o leitor fiel do blog já deve imaginar –, o ideal é tentar afastar da mesa o cereal cheio de açúcar, o bolo que sai do pacotinho e o suco de caixinha – já falamos sobre esses itens-armadilha; leia neste post e inclua na rotina sucos feitos em casa.

Aplique a fórmula
Para deixar o café da manhã mais saudável você pode seguir uma fórmula simples: misturar alimentos in natura ou minimamente processados com alimentos processados.

Só para relembrar: alimentos in natura ou minimamente processados são os mais saudáveis, os heróis da nossa alimentação. In natura são frutas, legumes e verduras que vêm direto da natureza. Os minimamente processados passam por algum processo, como limpeza, moagem ou fermentação – caso dos grãos, farinhas e frutas secas. Exemplos matinais? Frutas, milho, suco, cuscuz e tapioca.

Alimentos processados são aqueles fabricados pela indústria, com adição de sal ou açúcar, ou outra substância. No café da manhã, eles são os representados principalmente pelos pães e queijos.

Uma série de fotos (veja abaixo) publicadas no Guia Alimentar para a População Brasileira traz oito exemplos de café possíveis, saudáveis e apetitosos, com alimentos fáceis de serem encontrados em qualquer lugar. Pão, tapioca, cuscuz – ninguém precisa abrir mão da base do café da manhã. Eles são bem-vindos, muito mais até do que iogurtes (cheios de corante e aromas artificiais) que prometem mil e uma funções, mas são, no fundo, alimentos ultraprocessados – justamente aqueles que devem ser evitados. Quer saber? Melhor apostar nos básicos.



Foto: Editora Panelinha / por Ricardo Toscani e Divulgação / Guia Alimentar