Banner do Blog

Princípios da alimentação saudável: divisão de tarefas

Imagem do post

Princípios da alimentação saudável: divisão de tarefas


A Rita Lobo sempre diz: comida não é um assunto da dona de casa, mas da casa. E o princípio é o seguinte: alimentação tem que estar no radar de toda a família para não virar a responsabilidade (e o fardo) de uma pessoa só.

Rita Lobo: Alimentação não é assunto de dona de casa, mas da casa  

Os 4 princípios da alimentação saudável

 

Porque são várias etapas envolvidas: alguém precisa pensar em como vai ser o cardápio, comprar os ingredientes, preparar as receitas e arrumar a cozinha. Se uma pessoa só tiver que fazer sozinha todas essas etapas todos os dias, vai acabar sobrecarregada e olhar com carinho para soluções "mágicas", como o hambúrguer da rede de fast-food (dá pra comprar sem sair do carro) e a lasanha congelada, que vai direto para o micro-ondas.

 

Esse apelo do marketing da "comida que não dá trabalho", aliás, surgiu exatamente na segunda metade do século passado, quando as mulheres ocuparam o mercado de trabalho e passaram a acumular a rotina profissional com os afazeres dentro de casa – cozinha incluída.

 

Foi aí que surgiram os pratos que só precisam ser aquecidos, os salgadinhos e equivalentes que estão prontos para serem consumidos, os molhos prontinhos dentro das latas e assim por diante.

 

A chave para não cair nessas armadilhas é dividir. Cada um se encarrega de uma parte do processo.

 

Precisa incluir a casa toda mesmo. Filhos adolescentes podem ajudar com as compras. Os pequenos podem ajudar a colocar a mesa, lavar a salada, medir os ingredientes. Se o marido (ou a mulher) for pouco habilidoso com as panelas, pode cuidar das compras. E todo mundo pode (e deve) dar palpites sobre o que vão comer, o que gostariam de experimentar, o que podem preparar nas próximas refeições.

 

Assim, a comida deixa de ser um "problema a ser resolvido" e se torna um assunto gostoso, um assunto da família