Banner do Blog

Bolo de cenoura integral

Imagem do post
A receita deste post, o meu bolo de cenoura favorito, não tem nada a ver com essa deliciosa torta de ricota da foto. Mas nem sempre o que se come é o que se vê. Então o causo é o seguinte. Hoje resolvi trabalhar em casa. Dora, minha filhota, sentou no meu colo e ficou “clicando os botões do computador para aprender a trabalhar”. Tentei dissuadi-la. Escrever com uma mãozinha a mais digitando aleatoriamente torna o processo mais complexo. “Mas, mamãe, eu quero trabalhar; você vai me ensinar muitas coisas?” Respondi que sim, que aos poucos ensino tudo o que sei. Ela então olhou bem séria para mim e perguntou: “Até os bolos, mamãe?”

Tive vontade de passar o resto do dia abraçada com ela. Por trás da simplicidade da pergunta, para mim, há um simbolismo muito rico. Gosto de pensar que uma casa com bolo na mesa é um lar. Nem por isso fazemos bolo em casa todos os dias. Bolo é também comida especial, ou de fim de semana, ou para ocasiões em que a casa e a alma precisam de um perfuminho extra.

Na semana passada, a Noelia, cozinheira de casa, encontrou um antigo caderno. Ela não sabia, mas o bolo de cenoura que estava anotado lá era um dos meus favoritos. (Pensei que tinha perdido a receita.) Ele não tem nada a ver com aquele clássico de liquidificador, coberto com calda de chocolate. É mais rústico, com mais camadas de sabor, mais textura, integral, bem úmido e pode ser servido com uma cobertura de cream cheese que, na minha opinião, deixa o bolo com jeitão de festa.

Comi feito criança, um pedaço após o outro. Dora também. Quando percebi, o bolo acabou, e eu não fiz uma foto sequer. E agora, será que passo a receita sem a foto?

O interfone tocou e o porteiro avisou que tinha uma caixa para mim. O meu colega André fez e mandou duas verdadeiras delícias: uma torta de peras e a outra de ricota. Divinas! Ele também mandou as receitas. Mas são bem técnicas. Ele é professor de confeitaria. Então, preciso adaptar aqui para o Panelinha. Se eu disser nos ingredientes “600 g de creme de confeiteiro”, amanhã minha caixa de e-mail entope! Mas como é que se faz o creme de confeiteiro?

Comi um pedaço da torta. Ai, a foto! Pausa para a foto. Então hoje tem foto sem receita, e receita sem foto. (Tomara que isso sirva de pressão para o André mandar a receita detalhadinha para a gente.) Corto três fatias, coloco os pratos na mesa. A Dora e o Gabriel começam a brigar para ver quem vai ficar no meu colo. Finjo que estou brava. Conto até três e digo que cada um vai sentar no seu lugar. Eles fazem bico e não percebem que por trás da minha cara séria tem a mãe mais feliz do mundo, comendo torta de ricota e sentindo gosto de lar.

Bolo de cenoura integral

175 g de açúcar mascavo
2 ovos grandes
120 ml de óleo de girassol
200 g de farinha integral
½ colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de canela em pó
uma pitada de noz-moscada
raspaa de uma laranja
200 g de cenoura ralada
175 de uvas-passas
manteiga para untar e farinha de trigo para polvilhar

Modo de preparo

1. Unte uma fôrma de bolo com furo com manteiga e polvilhe com farinha de trigo. Preaqueça o forno a 180ºC (temperatura média).

2. Na batedeira, junte o açúcar, os ovos e o óleo e bata por 5 minutos, em velocidade alta.

3. Enquanto isso, passe por uma peneira a farinha, o fermento e as especiarias. Diminua a velocidade da batedeira e junte os ingredientes peneirados ao creme de ovos. Bata apenas para misturar.

4. Desligue a batedeira e misture com uma colher a cenoura ralada e as uvas-passas.

5. Transfira a massa para a fôrma preparada e leve ao forno preaquecido para assar por cerca de 40 minutos.

Cobertura (opcional)

250 g de cream cheese
20 g de açúcar
2 colheres (chá) de essência de baunilha

Na batedeira, junte todos os ingredientes e bata até formar um creme bem fofinho. Quando o bolo estiver frio, espalhe a cobertura e sirva a seguir.
Categorias relacionadas

Aprenda a cozinhar

Causos