Banner do Blog

Cinza à mesa é cheio de cor

Imagem do post

Meus filhos não são mais bebês, mas ainda são pequenos. Ela tem quase 10 e ele, 12. A fase do rosa já se foi. Tudo, mas tudo tinha que ser rosa para Dora. Gabriel não teve muito essa coisa de uma cor favorita, apenas uma discreta predileção pelo verde.

De vez em quando, porém, a Dorinha volta com esse papo de cor. Qual a sua cor favorita, mãe?, ela me pergunta. E as minhas respostas são supervariadas. Depende do dia, do projeto em que estou trabalhando, da estação do ano. Pode ser amarelo, azul... Mas favorita para quê?, pergunto. Para roupa? Para um sofá? Para um vaso? Porque se for para um vaso, gosto muito de turquesa; para um sofá, neste momento da minha vida, a cor é chocolate (resiste aos filhos pequenos); já para roupa, é só abrir o meu guarda-roupas pra comprovar: é cinza.

Que cor sem graça, mãe!, costuma ser a resposta. E eu digo que ela ainda precisa crescer para entender a beleza, a riqueza e as possibilidades do cinza. É, mãe, mas eu gosto mesmo é de azul.

Cinza não é das cores mais populares, eu sei. E, talvez por isso mesmo, quando o assunto é mesa, costuma ser difícil de encontrar. Eu tenho copos de água do tipo bico-de-abacaxi (a trama maior que a do bico-de-jaca) que são fumê. Ficam lindos sobre o tampo da minha mesa de mármore, branca, com veios acinzentados. Tenho também algumas poucas porcelanas, entre elas uns pratinhos japoneses e esse prato de sopa, na foto com o cordeiro na cerveja, comprado na Zara Home há uns meses.

Cinza pode não ser popular. Mas como é chique! E realça o colorido das comidas. Olha o amarelo da baba de moça gritando. O cinza deixa a mesa colorida, sem tirar a atenção da comida. E se você der um pulinho no #blogPitadas da semana vai descobrir que a calda toffee com sorvete de creme fica ainda mais irresistível numa tigelinha de porcelana cinza da Série Líquida da Heloisa Galvão.

Entre as fotos que ilustram este post, você encontra uma linda seleção de objetos de mesa, chiquérrimos e ultra versáteis. À esquerda superior, bowl claro, R$ 45, da Olaria Paulistana (tel. 11 3031-5294). Na coluna do meio, pratinho quadrado (no alto), R$ 50, e tigela retangular com borda, R$ 110, os dois Stella Ferraz (tel. 11 3845-2411). À direita, prato raso, R$ 148, e bowl pequeno, R$ 73, Heloisa Galvão (tel. 11 4329-2988).

Gostou deste post? Então curta e espalhe!

Fotos: Editora Panelinha