Banner do Blog

Lançamento: Jerusalém – Sabores e receitas

Imagem do post

Falar do Jerusalém – Sabores e receitas é uma honra. Senti um prazer imenso ao editar este livro em português por poder trazer um pouco mais da cultura árabe e judaica de Israel para o Brasil através de uma publicação que recebeu o James Beard Award - o mais concorrido prêmio para edições de culinária. Estas páginas são realmente especiais, não só pelas receitas (que são riquíssimas) e fotos maravilhosas, mas também pelas histórias pessoais dos autores Yotam Ottolenghi e Sami Tamimi que levam a uma viagem fascinante pelos mercados, cozinhas e mesas de uma das cidades mais antigas do mundo.

São quatro mil anos abrigando inúmeras comunidades, imagine só a diversidade de Jerusalém! Quanta experiência pode haver num lugar assim? De todo este universo, Yotam e Sami selecionaram 120 receitas que representam suas raízes e o que gostam de cozinhar e de comer. Os pratos podem ser divididos em três grupos: os antigos, fiéis às tradições; os que foram adequados aos tempos modernos (como dizem os autores, é uma licença poética); e as criações, inspiradas nos sabores de Jerusalém.

Em uma culinária tão fixada em suas raízes da terra (que têm uma energia emocional e espiritual tão grande), não podia ser diferente se não baseada nos ingredientes da região, respeitando sua sazonalidade. E isso não quer dizer que seja limitado, a lista é interminável. Predominam os legumes (tomate, quiabo, vagem, couve-flor, alcachofra, beterraba, cenoura, pimenta, pimentão, pepino, aipo-rábano, couve-rábano, abobrinha, berinjela), as frutas (figo, limão, pêssego, pêra, morango, romã, ameixa, damasco), além de ervas, oleaginosas, produtos lácteos, grãos, sementes, peixes, cordeiro e frango. Quanto aos condimentos, há um capítulos só para eles com maravilhas.

Percebeu que são ingredientes que a gente encontra em qualquer mercado? Não tem segredo. Com o livro de receitas na mão, você pode mergulhar na cultura de Jerusalém e preparar pratos incríveis, como o cuscuz com tomate e cebola; arroz selvagem com grão-de-bico, groselha e ervas; berinjela recheada com cordeiro e pinoli; salada condimentada de grão-de-bico e legumes frescos; bolo de tangerina; e amêndoas com calda.

Outra receita imperdível do Jerusalém é o homus kawarma com caldo de limão. Segundo os autores, os melhores homus, aperfeiçoados por gerações, estão na cidade. Ele faz parte do menu de restaurantes supertradicionais até os mais modernos do país. E causam até discussão sobre qual é o melhor. O homus Palestino, que faz parte da infância de Sami Tamimi e está no livro, tem uma acidez mais acentuada.

Como publisher da Editora Panelinha e amante da comida do oriente médio, estou ansiosa pelo lançamento do livro hoje. Eu estarei com as chefs Andrea Kauffmann (AK Vila) e Leila Youssef (Arábia) para um bate-papo delicioso. Vamos falar sobre os ingrediente e receitas que fizeram deste livro um best-seller do New York Times.

Começa às 19h, na Livraria da Vila da Lorena (Alameda Lorena, 1731, Jardins). A distribuição de senha é por ordem de chegada, então não vale atrasar. Espero que você se encante com o Jerusalém.

Foto: Editora Panelinha | Ricardo Toscani

Categorias relacionadas

Causos