Banner do Blog

Dezoito ovos e uma receita com memória

Imagem do post

O que é, o que é? Junta pão italiano com violão e o segredo da felicidade? Gemada com coragem e duas mudanças para os Estados Unidos? Abóbora assada com uma reforma de cozinha? Ah, só vai saber quem assistir a próxima temporada do Cozinha Prática, que estreia dia 7 de agosto no canal GNT. O tema dessa vez são receitas com memórias. Elas vão resgatar o prazer de comer – e de cozinhar. E eu vou contar muitas das lembranças que cada uma das receitas me traz.

 

Leia também

‘Vem aí: receitas com memórias’

 

Quem leu o post anterior sabe que a temporada começa com a gemada da minha mãe que, para mim, além de um fortificante é também um encorajante. Hoje, porém, vou pular para o 13º episódio, o último. E por dois motivos: a receita, a torta de nozes da minha vó Rita, foi a que inspirou a série; o outro ponto é que, pela primeira vez, a temporada inteirinha vai estar disponível no GNT Play (a plataforma online de vídeos sob demanda da Globosat) e no Now (a plataforma de vídeo sob demanda da Net).

 

Sim, sim, no mesmo dia em que o programa estreia no canal, a temporada toda fica disponível no GNT Play e no Now. E,  por uma semana, vai estar aberto também para não-assinantes. Vai dar para fazer maratona e assistir feito série! E, se quiser, pode até ver o último episódio antes do primeiro. (Mas, se eu fosse você, assistiria na ordem.)

 

Dezoito ovos

Voltemos à torta de nozes da minha avó Rita, a última receita da série, mas que foi a preparação que me inspirou a fazer essa temporada. Você já deve ter sacado que é uma receita clássica na minha família. Aliás, a freguesia do Panelinha já pode até ter preparado para a sobremesa de alguma festa de Natal ou de outra comemoração, porque além de estar aqui no site desde sempre, foi publicada no livro Panelinha. Na televisão, porém, nunca fez sentido preparar.

 

Minha avó teve dez filhos, vinte e tantos netos e mais um monte de bisnetos. As reuniões na casa dela eram incríveis! Dá para imaginar que, com uma família desse tamanho, até um simples almoço no fim de semana já virava um festão. E ela adorava juntar a família... Para mim, não tem como comer uma fatia de torta de nozes sem pensar nela, na força, no bom humor, em tantas lições que ela me ensinou.

Há seis anos, quando a minha avó Rita morreu, encontrei na casa dela essas páginas de caderno com a receita da torta escrita com a letrinha dela. Achei tão simbólico que resolvi emoldurar... Desde então, o quadrinho mora na sala da minha casa. Sempre tive vontade de mostrar o passo a passo da receita no programa. Mas o meu foco na televisão, desde o início, mesmo que com leveza, com ou sem dancinha, com ou sem pê-efe, é sempre resolver o dia a dia.

 

Foi assim com a temporada dos básicos, carinhosamente apelidada pelo público de temporada ‘desgourmetiza, bem!’. Depois, veio a série do reaproveitamento, lembra? Até hoje tem gente que me pede mais uma ‘temporada da marmita’. Teve a dos cardápios rápidos, ou das dancinhas, que mostrava como chegar em casa e resolver o jantar em meia hora – e ainda se divertir horrores na cozinha, dançando como se não tivesse ninguém vendo! (Risos) Foram dois especiais de verão, até uma temporada que mostrava ideias para deixar a cozinha em si, como espaço, mais prática. Na última, vimos quatrocentas e oitenta e sete variações sobre o pê-efe. (Risos) Ok, foram só treze episódios...

 

Como apresentar nesse contexto uma receita que leva dezoito ovos? (Sim, uma dúzia para fazer a massa de nozes e mais seis para o recheio e cobertura. Seis gemas viram a baba de moça e as claras, um merengue suíço...)

 

Um dia, um belo dia, olhando para o quadrinho com a receita da torta da minha avó na sala da minha casa, veio a ideia: e se eu fizesse uma temporada com as receitas que fizeram parte da minha história? Memórias dão significado às preparações.  

 


Depois de tanto tempo mostrando soluções para o dia a dia, talvez esteja na hora de olhar para as preparações especiais.

Isso não significa que as receitas da nova temporada sejam todas elaboradas, complexas ou com ingredientes diferentes. Tem o pão italiano do meu avô, a abóbora assada que fez época na minha primeira cozinha aberta para a sala, tem a sopa de lentilha que me lembra o dia em que meu então namorado e eu fizemos as pazes... Tem muitas receitas, algumas para o dia a dia, outras para datas comemorativas, mas todas elas recheadas de memórias. Ah, e o quadrinho com a receita da minha avó ficou no estúdio durante toda a gravação da temporada. Logo mais eu volto para contar os detalhes do cenário.

Receitas relacionadas