Banner do Blog

Para comer menos sal, cozinhe

Imagem do post

A população brasileira consome sal em excesso. Mais precisamente, o dobro do recomendado pela Organização Mundial da Saúde. (Em números, isso significa que, em média, o brasileiro consome 9,34 gramas contra os 5 gramas recomendados pela OMS.)
 
A informação é da Pesquisa Nacional de Saúde, que coletou amostras de sangue e urina de quase 9 mil pessoas para medir os índices que apontam excesso de consumo de sal. As coletas foram feitas em 2013 e os resultados da pesquisa foram divulgados na semana passada.
 
A avaliação indicou que apenas 2,39% das pessoas pesquisadas estão dentro da faixa recomendada pela OMS. A população ingere sal demais e os homens e jovens são os mais afetados. É grave. O consumo excessivo de sal está diretamente relacionado a hipertensão e problemas renais. O dado mostra também, indiretamente, que a população está consumindo mais produtos ultraprocessados.

Sal escondido

Se em casa você carrega no sal, percebe que a comida ficou salgada. Já nos ultraprocessados, muitas vezes as pessoas nem notam a presença do sal. Em diversos produtos doces, inclusive bebidas adoçadas, as quantidades de sal são enormes! Em função da formulação desses produtos, o sal passa batido pelo paladar. Não é à toa que a percepção dos pesquisados sobre o próprio consumo não corresponde à realidade: só 14,2% dos participantes disseram que consomem sal demais.

Saiba o que são produtos ultraprocessados

Mais uma vez, a solução para este problema está na cozinha de casa. A melhor forma de garantir uma alimentação saudável, sem excesso de sal (açúcar e gordura, que são outros ingredientes usados excessivamente nos produtos ultraprocessados), é basear a alimentação em comida caseira, feita a partir de ingredientes in natura e minimamente processados. Quem cozinha controla a quantidade de ingredientes culinários (como sal, azeite, manteiga) que vai utilizar. E, em casa, nunca vamos usar os aditivos químicos dessas formulações industriais, nem as quantidades excessivas de sal, açúcar e gordura.  

ASSISTA AO CURSO COMIDA DE VERDADE

O sal, usado adequadamente, é essencial para transformar alimentos in natura em pratos gostosos. Para quem come comida de verdade e mesmo assim está consumindo sal em excesso, talvez a solução esteja na mesa. Quando for a um restaurante, repare: muita gente salga a comida antes mesmo de provar! Ou seja, mesmo quem come comida de verdade precisa ficar atento. Em vez de tirar o sal da cozinha, talvez a melhor estratégia seja tirar o sal da mesa.
 
Já para quem consome ultraprocessados, o buraco é mais embaixo. A comida já vem temperada da fábrica, em quantidades excessivas. Além de ter muito sal, esses produtos também viciam o paladar a essas quantidades exageradas e, na comparação, a comida caseira fica parecendo sem graça.


Rotulagem frontal

Numa escala maior, que vai além das escolhas individuais, é preciso discutir a rotulagem nutricional dos alimentos. Esse, inclusive, foi o assunto de uma LIVE que fiz esta semana no Estúdio Panelinha. Recebi o nutricionista Rafael Arantes, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, para uma conversa que você pode assistir no meu canal no IGTV. Ele explicou porque o modelo de rotulagem dos triângulos é o mais eficiente e mostrou o passo a passo para quem quiser participar da consulta pública, que está aberta até segunda (9), no site da Anvisa. Para mais informações, acesse www.direitodesaber.org.