Banner do Blog

Dicas para evitar o desperdício em casa que tem criança

Imagem do post

Está no ar um vídeo que gravei com a convite da ONU com o Kaká, que é Embaixador do Programa Mundial de Alimentos, o WFP. É um papo sobre as pequenas ações que podemos adotar no dia a dia para diminuir o desperdício. O vídeo faz parte da campanha #ZerarODesperdício, que você pode acompanhar pelas redes sociais usando a hashtag.

O assunto é importante: sabemos que atualmente, apesar da produção de alimentos ser suficiente para a população global, mais de 800 milhões de pessoas passam fome todos os dias.

 

Um terço de todo o alimento produzido se perde no processo de produção ou é desperdiçado no momento do consumo.

 

O Kaká tem três filhos e fez uma pergunta que é uma dúvida comum de muitos pais: "Como fazer para que as crianças comam mais legumes, mas evitando que eles sobrem no prato ao fim de cada refeição?"

 

 

Dei algumas sugestões para ele, que também podem servir para famílias com crianças.

 

  1. A primeira sugestão é muito simples: deixar que as crianças se sirvam. Porque se sobrar comida no prato, a tendência é que vá pro lixo. Mas o que está na travessa volta para a geladeira. Eu sei que é um exercício muito intenso pros pais deixar que os filhos ganhem essa autonomia de se servir. Mas os pais colocam a comida pensando na fome deles, dos pais, não dos filhos. E os adultos exageram na porção...

  2. A segunda ideia é, dentro do possível, tentar trazer a família toda para a cozinha. Porque quando você está envolvido, você vê que dá trabalho lavar o espinafre, preparar o creminho... E acaba ficando mais consciente da alimentação e, ainda mais importante, cria uma relação saudável com a comida.

  3. A terceira é que esse jeito de olhar para a cozinha como um lugar importante da casa faz com que a gente acabe variando mais as receitas e criando preparações mais saborosas. No projeto 'O que tem na geladeira?', são mais de 200 receitas, com os 30 legumes e verduras mais comuns no Brasil. Além do livro, esse projeto tem vídeos no canal Panelinha no YouTube e receitas aqui no site. Digite na busca uma hortaliça que você tenha em casa e veja as opções!

  4. Além de variar as receitas, varie os próprios alimentos na compra. Isso abre os horizontes, sabe? E acaba com a monotonia. Um dia berinjela, outro dia abobrinha. (É bom lembrar que não tem nada de errado comer arroz e feijão todos os dias. A nossa dieta, a dieta brasileira, baseada no pê-efe, é alimentação saudável de verdade.) O que precisamos é variar as hortaliças.

  5. Última dica: não adianta você falar para a criança "coma legumes", se você está com uma lata de refrigerante ou um shake que vai substituir a refeição. Comer em família também ajuda, porque um olha para o outro, as crianças vão se espelhar nos adultos. Comer em família estimula o consumo correto dos alimentos.

 

Planejamento

Num olhar mais macro, a melhor forma de combater o desperdício em casa é planejando. Voltar a fazer o bom e velho cardápio semanal, fazer as compras baseadas nesse cardápio, cozinhar a mais e já congelar, não deixar sobrando na geladeira, porque depois de três dias você não vai consumir. O cardápio semanal não precisa ser rígido, "toda terça você tem que comer tal coisa". É para você ter uma ideia. Naquela semana, o almoço vai ter arroz e feijão e você sempre vai consumir duas hortaliças. E à noite você fica um pouco mais livre: um dia macarrão, outro dia omelete. O planejamento é um guia.

Cozinhar para quem precisa

Além disso, neste momento em que muita gente está em situação de fome, também tem muita gente querendo ajudar. E é bom lembrar que a marmita solidária deve ser uma refeição balanceada, bem completa. O jeito mais fácil – e generoso – de resolver é usando a fórmula do pê-efe: arroz, feijão, hortaliças e carnes. A dieta brasileira é incrível também por isso: ela é boa e nutritiva para todos. Aqui no Panelinha tem um guia bem completo para quem quer cozinhar para quem precisa.