Banner do Blog

Janaki Ammal, pioneira da botânica

Imagem do post

Janaki Ammal foi uma grande cientista. Da juventude, quando recusou um casamento arranjado para continuar estudando, aos últimos dias de sua vida, quando conseguiu salvar uma floresta inteira da destruição, a biografia dessa cientista indiana é cheia de reviravoltas. E é o tema do episódio de quinta (28) de Cardápios com história. 


Janaki foi a primeira mulher botânica da Índia e a primeira mulher a obter um doutorado em botânica nos EUA. Foi pioneira da citogenética, que é um ramo da genética que estuda a estrutura e função da célula, especialmente os cromossomos. Ela criou variedades de plantas, inclusive a variedade de cana que é mais usada para produção de açúcar no mundo todo.


Janaki Ammal nasceu em 1897. Na família dela, as mulheres estudavam, mas ela foi a única que virou cientista. E virou até nome de flores: a Magnolia kobus Janaki Ammal e outra espécie de flor híbrida, a Sonerila janakiana. Mas, na trajetória dela, nem tudo foram flores. Em 1935, o físico indiano CV Raman, ganhador do prêmio Nobel, convidou Janaki pra fazer parte da academia indiana de ciências naturais. Porém, mulher, solteira e de uma casta considerada inferior, ela foi rejeitada pelos outros cientistas. O baque foi tão grande que ela se mudou pra Londres. Por lá, a vida também não foi tranquila, não. No período da Segunda Guerra Mundial, em meio aos bombardeios, ela se escondia, depois varria os detritos do laboratório onde ela trabalhava, e seguia pesquisando.

 

Janaki Ammal lutou pelo meio ambiente e mudou pra sempre o cultivo de alimentos no mundo. Ela também viajou para áreas remotas da Índia em busca do conhecimento dos povos originários do país dela. Há quase setenta anos, em 1955, ela participou de um simpósio na universidade de Princeton e, além de ser a única mulher, também foi a única que apresentou um trabalho sobre a importância do conhecimento das comunidades tribais pro desenvolvimento sustentável. 

 

Já no fim da vida, de volta à Índia, quando um vale coberto por florestas no seu estado de origem, Kerala, estava ameaçado pela construção de uma barragem, Janaki mapeou a biodiversidade da região levando o governo a cancelar os planos e poupar a floresta.


Cardápio do dia

Para celebrar a memória dessa pesquisadora pioneira em abordar as desigualdades entre homens e mulheres nas carreiras científicas, o cardápio será todo formado por preparos indianos. E para trazer o conjunto dessa obra tão ampla para o cardápio, os pratos têm colorido e perfumes inspirados no universo da botânica.


O prato principal vai ser um arroz biryani com frango, clássico da culinária indiana, mas que ganha uma versão cozinha prática: vai ser preparado em uma panela só. Além das especiarias, vai castanha de caju, uva passa e cebola frita. Para acompanhar, vai ter dal de ervilha seca, que é um tipo de ensopado indiano. Ele é saborosíssimo!


Para dar um toque de frescor à combinação de sabores, vamos preparar um molho de Iogurte com coentro facílimo e delicioso.


Por fim, a sobremesa é um típico sorvete indiano, o kulfi de manga, um pouquinho mais firme e denso que o nosso sorvete. A maioria das receitas de kulfi ou usam leite condensado ou reduzem o leite com açúcar, o que demora muito tempo. Pra deixar o nosso mais prático, a gente vai fazer aqui um tipo de leite condensado caseiro, só que menos doce. A novidade é que ele bate junto com a manga e assim a gente consegue um kulfi que não demora horas para ficar pronto.

 

Plano de ataque

 

Que cardápio, hein? Cada receita, separada, é bem multiuso. Mas quero muito que você prepare, pelo menos uma vez, esse 'Cardápio com história' completo! Então montei um plano de ataque para o encadear os preparos e otimizar seu tempo na cozinha.

O melhor é começar pela sobremesa. Assim o sorvete já fica congelando. Da sobremesa, vamos para o dal de ervilha. Enquanto o ensopado cozinha, é hora de preparar o arroz. Aí é só bater o molho de iogurte com coentro e pronto. Embarque imediato para a Índia de Janaki Ammal.


Cardápios com história vai ao ar quinta (28), às 20h45, no GNT.