Banner do Blog

Qual vai ser o peixe da Sexta-feira Santa?

Imagem do post

Sexta-feira Santa é tradicionalmente dia de comer peixe. O ícone do almoço desta data costuma ser o bacalhau. Mas cada vez mais outras opções são bem-vindas à mesa.

Qual bacalhau?

O bacalhau autêntico é o gadus morhua (nome científico) e vem das  águas do Atlântico Norte. É um produto nobre (e importado), que sempre foi caro e agora está mais caro ainda.


Para quem vai investir em um belo lombo de gadus morhua, nossa receita de bacalhoada faz valer cada real: ela é cheia de truques para extrair o máximo de sabor em cada etapa de preparo. 


Tradicionalmente, o bacalhau é vendido salgado e seco e precisa passar pelo processo de dessalga de 12 horas, em que a água é trocada por cinco vezes, numa tigela que deve ser sempre mantida na geladeira.


Opções mais em conta

Agora, não é porque não vai rolar comprar o lombo do bacalhau que você precisa riscar o tradicional peixe salgado da mesa da Sexta-feira Santa. Existem opções mais em conta, que dão supercerto em preparos que fazem bonito em dia de festa.


Uma opção é comprar as lascas de bacalhau, também vendidas salgadas e que também devem passar por dessalga. Como são aparas, saem consideravelmente mais em conta no preço por quilo, com a vantagem de ter o sabor marcante e intenso do tradicional bacalhau. São ideais para o preparo da brandade de bacalhau, essa receita francesa que é sucesso total. 


Já a escolha mais em conta de todas é o bacalhau comprado desfiado, dessalgado e congelado. Além do preço, ele tem outra vantagem: não precisa dessalgar. É mais prático. Mas o sabor não é o mesmo, precisa caprichar nos temperos para dar uma compensada. Por isso dá supercerto na lasanha de bacalhau, na torta capixaba de bacalhau, nas saladas estilo vinagrete e nessa torta de bacalhau com tapenade (que é espetacular!). 


Veja todas as receitas de bacalhau

 

Peixe fresco

 Já se for preparar peixes frescos, não precisa desistir da receita só porque não encontrou a variedade específica recomendada. Os peixes são intercambiáveis.

 

Filé de peixe
Se a receita pedir pescada branca, também vale linguado, saint peter (tilápia) ou merluza.

As rosetas são uma forma de apresentação super elegante para filés de peixe em datas festivas, mas eles também podem ser usados em preparações diferentonas, como o quibe de peixe recheado com cebola e uva-passa.




Peixe em tranche

Esses têm a carne mais firme. O grupo é formado por namorado, robalo, badejo e bacalhau fresco.


E as possibilidades de preparo são várias: no papilote, com crostinha de castanha ou confitado, como este namorado aí da foto, que vai ao forno com azeite, limão siciliano, tomilho e tomatinhos, para ser servido em temperatura ambiente.

 

O caso do salmão e do atum fresco

Eles são peixes firmes, mas não estão no mesmo grupo do namorado, robalo ou badejo porque têm sabor muito distinto. Então, se substituir, muda o resultado da receita. 

 

Confira todas as nossas receitas com peixe